Adriel Visoto

Não me espere para o jantar

​“Não me espere para o jantar” exposição de Adriel Visoto (Brazópolis, 1987) abre o ciclo de exposições 2017 do Edital para artistas mineiros do Memorial Minas Gerais Vale com um conjunto de pinturas na quais figuram de forma poética e quase melancólica os espaços da casa e os movimentos cotidianos dos sujeitos.

Como uma delicada cartografia de gestos, situações e contextos, Visoto nos surpreende com pinturas em formatos pequenos que nos exigem um olhar mais próximo. Assim, quando nos detemos diante das séries como “Excessos do meu vazio” (2013) ou “A (in)permanência das coisas (2014) as imagens revelam performances comuns – nada espetaculares – que acionam um inventário dos espaços domésticos, das intensidades ordinárias do cotidiano e de um certo modo de articular a experiência estética que a vida cotidiana pode guardar no cerne de suas exaustivas repetições.

1/2