Daniella Domingues

Célula/Vaga

É mineira de coração. Natural de São Paulo, a artista chegou ao Memorial Vale com a exposição “Célula/vaga” e cria um dispositivo que aparece em vídeo, desenhos e diagramas para refletir as questões típicas do urbano em torno das dualidades mobilidade-repouso, veículo-estacionamento.

O dispositivo proposto por Daniella abre outras possibilidades de ocupar, com novos sentidos e usos, o estacionamento, revelando com isso as dualidades, os paradoxos e tensões entre espaços ocupados e vazios.

1/2